‘Caribe colombiano’, Cartagena é cercada por cores e gastronomia

Ah, Cartagena! O Caribe Colombiano!

Escuto muito perguntarem se Cartagena é só para casal ou quem for solteiro também pode curtir. Eu respondo, brincando, que é para os dois, mas o problema é que se você for paquerar, 90% vai estar acompanhado!

Acho uma cidade perfeita para casais, tanto os que gostam de desfrutar de boa gastronomia, quanto os que preferem festas ou muita história!

A cidade tem o lado moderno, a região de Bocagrande, mas o gostoso mesmo é se hospedar na Cidade Amarulhada, onde está todo o charme e características do local.

Por ali se faz tudo a pé, e você pode fazer ‘uni duni tê’ para escolher o restaurante da noite, pois todos são lindos, super bem decorados, e, pra quem ama arquitetura, vale a pena prestar um pouco mais de atenção nas portas!

Elas e suas fechaduras, sejam em prédios públicos ou hotéis, são de todos os tipos e materiais, com imagens de bichos, dragões e imagens folclóricas que vem desde a Idade Média.

VIAGEM.

Não sou de apontar pontos negativos de nada, mas, nesse caso, vejo mais como um alerta para os viajantes, pois não gostaria que vocês leitores passassem pelo o que eu passei: cuidado na hora de comprar os passeios de barcos para as ilhas Rosário e Baru.

Pegue indicação, e não acredite no que vê nas fotos que os vendedores mostram — coloque menos expectativa. E se você seguirá viagem para San Andreas depois, sugiro guardar verba para passeios por lá!

TURISMO.

Já dizia o ditado: quer conhecer uma cidade, então vá de bicicleta! No caso, alugue, mas não deixe de fazer.

Em todos os lugares de Cartagena há por onde pegar aquelas bicicletas fofas com cestinho na frente! Alugue, pegue um mapa e explore! Eu fiz a cidade toda, até Bocagrande, passando pelo porto e terminei contemplando o pôr do sol no restaurante mais famoso e turístico de Cartagena, o Café del Mar!

Indico para ver o por do sol e o nascer da lua, refletindo no mar. Mas, para jantar de fato, existem outras várias opções gostosas e com atendimento melhor, como as casas de ceviche! Ali vale a pena uma tacinha de vinho e um brinde a vida!

DESTAQUE.

Ah, e Cartagena também tem castelo! E, como todos eles, foi construído estrategicamente bem em frente ao mar, para se proteger dos possíveis invasores ao local. No caso, da França e da Inglaterra, que após insistirem inúmeras vezes com seus exércitos quase que com o quádruplo de soldados e embarcações, perderam para a Espanha.

Estou falando do tradicional Castelo de San Felipe de Barajas! Vale muito a pena ir, pois há um tour guiado para quem ama saber os mínimos detalhes sobre o local e sua história. No subsolo, encontra-se um labirinto que os soldados usavam para aprisionar adversários e se esconder na espoca das batalhas.

Além de Cartagena, eu ainda explorei um pouquinho mais da linda Colômbia, passando por Bogotá e também pela paradisíaca ilha de San Andreas! Mas daí a gente deixa para um outro capítulo.

Ano que vem tem mais! Boas férias e boa viagem!

Cercada de história, África do Sul reserva surpresas para os turistas

Quando me perguntam qual o lugar mais legal que eu já viajei (aliás, uma das perguntas mais difíceis de se responder, pois cada lugar tem sua particularidade…), eu respondo, meio que na ponta da língua: África do Sul.

Talvez seja pelo motivo de ter me surpreendido! Em Tudo!

Eu não fazia ideia como seria, fui sem expectativa e para passar o Réveillon. Conclusão: foi uma das viagens mais lindas e ‘em conta’ que já fiz.

Logo de primeira, como não conhecia nada sobre a cidade, indico pegar aqueles ônibus vermelhos sem teto, os chamados ‘Rooftop’, para dar um geralzão na cidade e detectar o que você quer fazer com mais calma depois. Sempre indico esses ônibus, pois apesar de serem meio ‘turistão’, são muito bons quando se viaja sozinha ou o pais é muito exótico, com muita historia.

Sobre gastronomia, muita carne e muito vinho barato de excelente qualidade. Isso porque a Cidade do Cabo se localiza na região do Cabo Ocidental, região de clima favorável para cultivo das uvas!

E, falando em clima, uma das cenas que me deixou mais curiosa foi observar as árvores na avenidas das praias. Venta muito! Nessa época do ano, entre dezembro e janeiro, principalmente. Não é frio, mas venta! As arvores são todas envergadas, com a ponta inclinada pra baixo quase que beijando o chão. Achei muito diferente de tudo que já tinha visto.

DESTAQUES.

Algumas coisas me encantaram. Primeiro, o povo. É uma mistura entre descendentes de holandeses, devido a colonização da Holanda, e os Africanos. Lá se fala a língua nativa e o inglês em todos os lugares!

Fui muito bem tratada por todos! Taxistas simpáticos, atendimento atencioso nos restaurante, hotéis, povo alegre. Fiz amigos que ate hoje nos falamos!

Por conta dessas duas culturas, a cidade tem a vida noturna um pouco parecida com a nossa. Me dividi entre clubes com música eletrônica dos DJs europeus e também bares e casas noturnas com o ritmo africano!

PASSEIO.

A cidade tem tanta história, politica e geográfica, que não poderia deixar de fazer um passeio de helicóptero e sobrevoar sobre a Robben, onde Nelson Mandela ficou preso por 18 anos. É emocionante, imaginar!

Outro local é a Table Mountain, o ponto turístico mais visitado! Vale a pena pegar o bondinho e ver a montanha, em formato de mesa — por conta do vento assim ela se formou.

Lá de cima dei sorte, porque peguei o tempo aberto onde se pode ver toda a cidade, inclusive o novo estádio de futebol, onde foi a Copa do Mundo de 2010. Ali fiquei parada contemplando, após um guia me contar que ali, 200 milhões de anos antes, viviam os dinossauros!

SAFARI.

Destaque. Apesar da maioria linkar África com Safari, foi umas das últimas coisas que pensei em fazer! Optei pelo Kruger Park, uma área de 2 milhões de metros quadrados, com 150 espécies de mamíferos. Estava com dois amigos e decidimos alugar um carro com motorista para nos levar e passar o dia, mas há quem prefira passar a noite lá.

É uma experiência muito construtiva, pois além de admirá-los em seu habitat natural, aprendi muito sobre cada um deles. O elefante por exemplo, é um dos mais selvagens, e já tinha destruído a maioria das árvores de lá! O leão tem a hora certa de visitá-lo, depois do almoço.

Ir à África é um passeio incrível. E não esqueça de levar junto com o passaporte o documento com sua vacina de febre amarela!

Hotel marítimo, veleiro iça velas e navega pelo mar da tranquilidade

Casal larga a vida corrida na capital paulista e encontra a paz velejando pelo oceano, longe do caos das grandes metrópoles. Estadia no veleiro é cercada pelos fenômenos da natureza e é desconectada do telefone celular

Velejar! Esse é o tipo de experiência que só conseguiria descrever depois que vivenciasse mesmo. É algo muito diferente para nós, que vivemos na correria das metrópoles, conectados 24 horas em nossos celulares em meio uma selva de pedra, como a cidade São Paulo.

E foi isso mesmo que levou o casal Claudio e Priscila a largar tudo de sua vida louca na capital paulista para morar num barco, o veleiro Beijupirá!

À convite do casal, fui passar três noites em sua ‘casa’, para aprender como é viver a bordo e em alto mar.

Minha curiosidade não era tanta em passar o dia no veleiro, e sim o período da noite, pois isso sim seria algo inusitado para mim. E foi!

TURISMO.

O barco realmente parece um hotel, com três quartos sendo um suíte, café da manhã, jantar. Uma espécie de Airbnb aquático!

No começo, você recebe algumas instruções básicas para se locomover no barco, como como usar a água, o banheiro, roupas… Tudo é adaptado.

São mil litros de água doce, abastecidos na marina, que terão que durar todos esses cinco dias! Então o banho, por exemplo, é rápido, em sua maioria na proa ao ar livre! Quer coisa melhor?

Apesar do tamanho, depois de algumas cabeçadas no teto, eu já estava me sentido em casa logo no segundo dia. Mas o que realmente me tirou o fôlego foi dormir a bordo. Eu não via a hora!

CONFORTO.

Apesar do meu quarto ser super confortável e a janela ser no teto com vista para as estrelas, eu optei por dormir a primeira noite lá na frente, na proa do barco.E não me arrependi! O tempo estava aberto, e ancoramos em meio as ilhas aonde não havia iluminação alguma, apenas um lampião dentro do veleiro.

Foi ai que ele se destacou: o céu estrelado! A lua iluminada refletia no mar e foi ali mesmo que vi uma estrela cadente! De tanto observar eu vi, e mais de uma vez! No silêncio e no escuro, seus sentidos começam a observar o que na barulhenta metrópole você jamais conseguiria, como o som do pulo do peixe, o canto dos pássaros.

Vale a pena ir com uma companhia, tornando o momento ainda mais especial.

Esse Charter (como chamamos essas diárias à bordo) podem ser feitas tanto entre amigos como para casais! Muitos fazem Charter para comemorar datas especiais. Até mesmo pedido de casamento a bordo!

Enquanto encaramos entre os canais e os fiordes de Paraty-Mirim, uma praia que fica na cidade carioca. A empresa de Expedição e Aventura de Paraty nos proporcionou um passeio de Caiaque pelo Manguezal até as cachoeiras ali na área do mamanguá.

Nosso país é muito rico em vegetação e história, e quanto mais viajo vejo que nada conhecemos, se informar e pedir dicas com empresas especialistas em Eco-turismo também é uma excelente alterativa! Temos muito ainda o que explorar do nosso lindo Brasil brasileiro!

Você imagina, a cada manhã, a vista da janela da sua casa ter uma paisagem diferente… Isso é morar a bordo do veleiro Beijupirá.

Velejar é um novo jardim a cada manhã!

‘Cook-House’ é uma viagem pela gastronomia em paraíso baiano

Uma nova opção em hospedagem vem dominando o Brasil e o mundo. E além desse estilo mais intimista de se hospedar ser mais econômico, pode render também muitas amizades para a vida toda!

Em um ambiente em que faz você se sentir em casa, a experiência também se aplica em degustar de uma excelente gastronomia: se hospedando com uma chef de cozinha.

Essa experiência chama-se Cook-House! Além da gastronomia, a alegria e a música fazem parte da guest house.

Eu pude vivenciar essa experiência e passar dias rodeada de pessoas de todas as partes do Brasil e do mundo, e isso faz com que você tenha a sensação que o planeta esta vindo em direção a você. Um delivery de cultura, arte e gastronomia!

Estive em Trancoso (BA), na guest house de Eloy Campagnoni, advogado paulista que decidiu se dedicar à gastronomia para cozinhar e entreter amigos em sua casa de temporada.

Após cursos em Barcelona, onde vive, e também hospedar pessoas do mundo inteiro, Eloy, no verão brasileiro, se muda para Trancoso para atender e entreter seus hospedes em sua casa de praia.

Ele também segue pela segunda vez com o projeto na alta temporada do verão europeu, onde hospeda e cozinha em Ibiza, na Espanha, e em Mykonos, na Grécia — destinos para amantes das festas eletrônicas!

Na guest house de Trancoso, pude interagir com a cozinha e até aprender alguns truques de culinária. O cardápio do Eloy é uma variação da culinária do mundo todo, principalmente da parte mediterrânea!

A experiência também inclui café da manhã à beira da piscina de borda infinita, de frente para o mar, esquentas para as festas e jantares harmonizados com vinhos! Tudo com musica ambiente sob um céu estrelado que só a Bahia tem!

VIAGEM.

Ao contrário de muitos hóspedes, optei por viajar a Bahia fora do Ano Novo e Carnaval. A ideia era passar por uma experiência mais local e tradicional!

Celebrei pela primeira vez o Dia de Iemanjá na Bahia, onde participei de uma festa típica com todos os rituais no dia 2 de fevereiro! A festa vai além das crenças e sim da tradição baiana, que faz do nosso imenso Brasil brasileiro tão rico e tão bonito!

Jantar, Dançar e até Casar na famosa Igreja do Quadrado em Trancoso

Um dos pontos turísticos mais visitados em Trancoso é a Igreja do Quadrado. Fundada pelos Jesuítas logo após a descoberta do Brasil pelos portugueses, é uma das igrejas mais antigas e também uma das mais concorridas para se fazer cerimônias de casamento! Muitos famosos e celebridades optam por casar na Igreja de São João Batista no Quadrado.

CORES.

Uma percepção que me deixou curiosa também no Quadrado foram as casinhas coloridas, que se disfarçam de pequenas, mas que quando você entra fica pasma de como são grandes, fundas e lindas. Em sua maioria são restaurantes e lojas, mas também a casa de muitos europeus que se mudam pra Trancoso no verão — e em sua maioria são donos das pousadas, bares e comercio da cidade. À noite, as casinhas coloridas do Quadrado Ficam todas iluminadas! Árvores enfeitadas com luzes, e você também escuta uma boa musica popular brasileira sob a luz do lua.

Por isso chamam de Quadrado Mágico, pois realmente é magico. Uma energia ímpar, eu amo a Bahia!