Diário de bordo: Búzios, Arraial e Cabo Frio são Caribe brasileiro

Como na maioria das minhas viagens, eu escolho o destino em cima da hora. Depois de fazer uma pesquisa rápida na internet em sites de hotéis e pousadas, ligo para um, dois, três amigos e pronto: esta armada a próxima trip!

Sem expectativa, mas já com algumas programações em mente, eu já sabia que uma viagem para Cabo Frio, Arraial do Cabo e Búzios seria de muito esporte outdoor, de aproveitar a natureza e tudo que nosso clima tropical nos oferece para fazer fora das academias.

Fui determinada a fazer mergulho, canoagem, sand board, entre outras programações que as agências de turismo e aventura oferecem por lá.

O que eu não sabia era que conheceria umas das praias mais lindas que já vi em toda a minha vida! Já visitei Caribe e praias na Tailândia, e saber que aqui pertinho, a menos de 200 quilômetros do Rio de Janeiro, encontraria umas das águas mais claras do nosso planeta, algumas chegando a quatro ou cinco tons de azul.

Entre as grutas formadas por meteoritos, há dunas desenhadas pelo vento e passeios de barco com comprimento dos golfinhos: assim é Cabo Frio e Arraial do Cabo!

TURISMO.

Em Cabo Frio, agendei uma aula e passeio de canoa, saindo da Praia da Passagem, região mais nobre e também a mais antiga da cidade.

Cabo Frio, para quem não sabe é a sétima cidade mais antiga do Brasil e é em Passagem onde se caminha pelas ruas de pedra da época colonial. Lá também estão as melhores pousadas pé na areia e restaurantes.

E ali, nesta praia, o ponto de encontro para os passeios de canoa. Para os apaixonados pelas manhãs como eu, pegue o passeio das 6h, para remar enquanto você aprecia o nascer do sol e garantir belíssimas fotos. Pois, dependendo da sorte, você pode receber o bom dia dos golfinhos, tartarugadas e outras maravilhas que estão entre as ilhas.

DICAS.

Não deixe de conhecer a Ilha do Japonês. Pequena, tranquila e de águas rasas em época de maré baixa. Jamais saberia se não fosse pelo passeio de canoa e dicas dos guias locais. Em época de baixa temporada chega a ser uma ilha paradisíaca, daquelas que vemos em filmes, com água azul clarinha, areia branca e só você nela.

Outra sugestão é a praia a das Dunas, entre as praias do Forte e Foguete (na verdade é uma única praia, muito extensa, que troca o nome conforme se troca o nome do bairro).A das Dunas me surpreende, por conta dos tons de azul da água ‘caribenha’, e segundo pelas montanhas de areia que pensava que só existisse em Maceió!

MERGULHO.

Distante somente 20 minutos de Cabo Frio, Arraial do Cabo é o centro das saídas para passeios de Barco e Mergulho.

Aproveite que a alta temporada está chegando ao fim e vá! As praias de Arraial e o mergulho são para calma e tranquilidade. Tudo é belíssimo, mas com muita gente nem compensa a visita, pois você deixa de ver o melhor: a areia e a água cristalina.

Uma dica que dou, e também é o que dou a mim mesma, é voltar e fazer um curso de mergulho de um final de semana. Para os que não tem medo, Arraial também conta com mergulhos noturnos, onde se vê lá embaixo os navios naufragados. Deve ser emocionante!.

Arte gótica, história, música e vida noturna são as atrações em Praga

O gostoso de se viajar para a Europa é a sensação de estar viajando mais ainda! Percorrer vários países na mesma viagem, colecionar carimbos nos passaporte… Isso, para os viajantes, é como se fosse um troféu: conhecer mais costumes e culturas diferentes!

Pois bem, a minha escolha para esse roteiro foi o que as agências vendem como Triângulo Europeu, o ‘Slanvan Tours’, em que em uma trip você conhece três países da Europa central: Áustria, Hungria e República Tcheca.

Mas, neste diário de bordo, vamos falar é da antiga Tchecoslováquia, que após 1993 se dividiu em República Tcheca e Eslováquia. Alguns bons motivos me levaram a essa viagem, escolhendo entre tantos outros destinos que tenho no meu ranking de roteiros!

E por que Praga?

Porque sou fascinada por arte gótica, e lá você o que você mais encontra são torres e mais torres construídas na Idade Media — tanto que lá é conhecida como a Cidade das Cem Torres.

Praga é tão linda que é considera um monumento da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Fui no mês de abril, quando a temperatura estava começando a subir, para poder caminhar e apreciar principalmente a cidade antiga. Antes disso chega ser um desperdício de roteiro, pois o frio chega a muitos graus abaixo de zero!

ROTEIRO.

A primeira parada é a praça da cidade antiga, onde esta a famosa Torre Gótica!

Ponto de encontro de turistas do mundo todo pelo Desfile dos 12 Apóstolos, feito de hora em hora pelo relógio astronônico, construído em 1410 — ao invés de marcar a hora, ele representa as órbitas do sol e da lua.

Ao redor da praça, além dos charmosos restaurantes, vale a pena a visitar as igrejas, entrar e perguntar os dias e os horários dos concertos de música clássica, exatamente um que me levou a conhecer Praga, que, assim como Viena, é palco dos maiores espetáculos de óperas e balés.

Desde os maiores até os ‘acústicos’ feito somente por violinos, em baixo, no sóton de uma igreja medieval. Você se transporta direto para o passado fechando seus olhos!

As casas noturnas de Praga são conhecidíssimas! Entre elas, uma das maiores da Europa Central, onde se encontra o famoso Icebar, feito de gelo. Acima dele a casa segue com mais cinco andares, com estilos de musica diferentes com atrações o ano todo.

Aliás, atenção cervejeiros! Querem beber cerveja gelada e de graça? Isso mesmo! Eu no começo não entendi, pensei que tinham marcado minha comanda errada, mas os tchecos bebem cerveja como se fosse água! Tiram da bica e te servem como se fosse um copo d’água, de verdade. É tão barata que na boate que fui era dada como ‘água da torneira’. Eu saí com a sensação que estava indo embora sem pagar!

DESTINOS.

Mas não se limite em apenas conhecer Praga! Eu poderia citar aqui mais sete ou oito cidadezinhas da República Tcheca que valeria muito a pena conhecer, nas montanhas, no sul, no norte, mas escolhi falar de uma só: Karlovy Vary!

O lugar é cenário de muitas acontecimentos históricos. Foi onde um imperador passou mal e sem querer descobriu o que hoje é a cidade, que serviu de tratamento para soldados na Segunda Guerra Mundial e destino de férias de Bethoveen, Mozart e Goethe.

A cidade é inteira construída sobre fontes termais! São 12 mananciais de águas quentes, que ajudam a tratar uma série de doenças.

A temperatura varia, algumas chegando até incríveis 72 graus. Hoje a cidade recebe os ricos e famosos para se hospedarem nos luxuosos spas por conta dessas fontes hidrominerais.

É lá também que acontece Festival de Cinema, e também cenário de um dos filmes da franquia de James Bond.

Luxo, glamour e praias lindas em viagem cinematográfica à França

Depois de conhecer várias metrópoles do mundo, hoje foco em conhecer o litoral e o interior dos países. E essa, pela França, foi uma viagem em que quis passar pelo verão europeu e vivenciar uma experiência verdadeiramente cinematográfica!

Fui com o bolso preparado e com o psicológico também, pois sabia que nem tudo que visse poderia comprar — mas também não queria passar tanta vontade assim! Então vou contar o que vale a pena e o que não vale nessas ferias pela litoral sul da França no Mar Mediterrâneo.

Cannes, por exemplo, vale muito a pena, Pelo menos uma vez, é preciso se dar de presente um almoço e um day use no Baoli Beach, conhecido como o restaurante preferido dos milionários, artistas e celebridades do mundo.

Não é nada demais, mas você paga pelo lugar, que esta localizado na avenida mais famosa, a La Croisette onde estão todos os hotéis de luxo e marcas famosas! De frente para o mar, com o pé na areia, ao som de lounge deep house, pelo atendimento impecável e para ver seus artistas preferidos — especialmente se for na semana do Festival de Cannes que acontece no final de Maio.

Mas prepare-se! Uma água de côco custa R$ 40, então… Uma vez na vida!

Fora a gastronomia, fui pesquisando o que mais poderia fazer para explorar meus dias em Cannes. Foi quando acertei em cheio em pegar um barco (esses de turismo, com saídas em diversos horários) e ir a Ilha Sainte-Marguerite, onde fica a prisão real do Homem da Máscara de Ferro!

É emocionante para os apaixonados por história, porque você entra na cela, olha pela janela onde ele olhou por anos a mesma vista, tenta decifrar os escritos na parede e em pensar que tudo que vimos pela interpretação de Leonardo di Caprio é verdade!

A figura realmente existiu e eu estava ali, onde ele esteve por anos preso.

TURISMO.

Vamos falar de algo que infelizmente não vale tanto a pena. Passar mais que um dia em Nice, por exemplo!

É uma cidade consideravelmente grande, onde aconteceu o triste atentado terrorista em 2016, na avenida turística Promenade des Angleis. Outro ponto é a praia: nós brasileiros que estamos acostumados com areia fofa, e por lá não é assim. Se procura uma praia parecida, pode esquecer!

Porém, entre o Caminho de Cannes e Nice tem uma cidade charmosérrima em que me apaixonei. Antibes, cidade Histórica onde se encontra o museu de Picasso. Essa não dá para perder nessa viagem!

Agora, dicas finais e importantes! Eu teria ficado menos dias em Nice e estendido minha diária em Juan Les Pins, cidade coladinha com Antibes.

Essa sim vale a pena! Me apaixonei por essa cidade, que conta com restaurantes lindos, um pôr do sol incrível, um pouco menos de ostentação, lojas exclusivas de roupas de linha… não queria ir embora.

É a mesma sensação senti na cidade medieval chamada de Éze: tem que ir!

É uma vila, na verdade, no topo de uma colina e bem tranquila. Era um dos lugares preferidos das férias de Walt Disney. Ao caminhar até o castelo, entre numa trilhazinha que chamam de ‘Caminho de Friedrich Nietzsche’ que foi por onde ele passou e se inspirou para terminar de escrever sua última obra, ‘Assim falou Zaratustra’.

Mais uma dica: apesar de pequeno, esse vilarejo tem muito o que se faze! Não deixe, por exemplo, de fazer seu próprio perfume francês, uma visita guiada na fábrica Fragonard, uma das mais antigas do mundo!.