‘Terra do Gelo’, Islândia reserva paraíso exuberante da natureza

Islândia, a Terra do Gelo, é o sonho de muitos viajantes. Mas que sonho caro…

Antes de começar a falar da viagem mais linda que já fiz na minha vida, devo fazer um alerta: se programem financeiramente para não cair para trás assim como eu. Assim como a natureza exuberante, os preços são extremamente surreais: por exemplo, o valor de um taque cheio é em média 900 reais!

A melhor maneira de conhecer a Islândia é alugando um carro, pois tem coisas que só a vida em quatro rodas te proporciona. Entre vulcões, glaciers, cachoeiras, mar, lagoas e gelerias cada quilômetro é uma surpresa!

Como alugar um Jeep e nos hospedar em um hotel iria ficar muito caro, resolvi fazer do meu carro, minha casa! A Islândia inteira é segura, e tem campings em várias cidades. Mas, como só abrem no verão, acabei parando onde eu achava que seria mais bonita a vista quando acordasse!

Acredito eu que quem se identifica com esse roteiro, esse tipo de destino, são pessoas com perfis aventureiros, pois senão a viagem pode se tornar um pesadelo. A CamperVan, que comporta 2 ou 3 pessoas, não tem banheiro dentro, por exemplo

A Islândia, apesar de ser a Terra do Gelo, é rodeada de vulcões e piscinas naturais com temperatura na média de 40 graus. Espalhadas pelo pais, normalmente possuem estrutura de spas, clubes, com chuveiro, toalhas, vestiário, restaurantes…

Geralmente as pessoas deixam chegar o verão para visitar a Islândia, mas eu fui na primeira semana da primavera e contei com sorte! Em uma semana vi tempestade de neve, sol com chuva, arco-íris… Aliás, o vento é responsável pelos maiores acidentes com as campers.

Como é um país grande, não teria tempo para conhecê-la toda. Então fiz os mais visitados. Comecei aterrizando na capital, Reikjavik, onde se concentra a maior parte da população da Islândia — 200 mil habitantes (em todo o país são apenas 300 mil).

De lá, a primeira parada é Blue Lagoon, uma lagoa artificial famosa por uma máscara que dizem que nos rejuvenesce em 10 anos. Vale a pena provar! Depois, seguimos para uma das maiores obras da natureza, os famosos Geysers: imagine que como se fosse uma gigante panela de pressão, que entra em erupção de minutos em minutos, espirrando para o alto um jato de água quente borbulhando. Lindo e emocionante!

No dia seguinte fui ao vulcão Kerid, que entrou em erupçãoo 3 mil anos atrás, e depois conheci Seljalandsfoss, uma região com cachoeiras que, com a força do vento, quase que sopram a água para cima.

Se tivesse que escolher meu lugar favorito, seria um que se chama Svinafellsjokull, cenário de Game of Thrones, com geleiras que se movimentam lentamente por conta da influência dos vulcões, e vão se transformando nessa montanhas de gelo!.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *