Um guia de viagem pelas lindas belezas da Chapada Diamantina

Paraíso baiano é um dos principais pontos turísticos do Brasil; faça o planejamento e se prepare para conhecer as atrações

Como organizar uma viagem a Chapada da Bahia? Por onde começar? Onde se hospedar? Como chegar? Eis as questões!

É para isso que eu fui, para poder, agora sim, relatar minha experiência e literalmente passar todo o ‘caminho das pedras’ pra vocês!

Essa é uma viagem que precisa planejamento, pois o Parque Nacional da Chapada Diamantina é imenso e impossível de conhecer todas suas atrações em uma só visita!

Primeiro de tudo, entrar em contato com um guia local que conheça tudo e todos e partir dele seguir suas indicações de transporte, hotéis e o que iria fazer em cada dia para não perder tempo!

Depois: como chegar até a cidade de Lençóis, minha base! Entrei em contato com a AGG Turismo, uma indicação essencial para o sucesso da minha viagem, pois sem carro e um motorista experiente para dirigir nessa estrada ia ser difícil!

Meu desembarque foi em Salvador, e de lá para Lençóis são seis horas de viagem com poucos lugares bons para parar na estrada. É importantíssimo você ter alguém de confiança para te guiar por lá!

Em um acordo prévio, o mesmo motorista que te busca no aeroporto, te leva até Lençóis será o mesmo que junto ao seu Guia, planejaram o roteiro que te levará pra lá e pra cá entre Lençóis, Capão e todas as atrações da Chapada.

O tanto de quilometragem rodada é o que vai determinar o valor que a Agg Turismo vai cobrar, já incluindo o carro, o transporte e o motorista, por todos os dias te guiando. Pois depois, não se esqueça, vai precisar voltar para Salvador!

Tudo é muito longe e afastado… Imagina que são 152 hectares de terra para explorar. O motorista nos pega no hotel e nos guia até a entrada das trilhas, e, depois, é com você e seu guia! Estava com um grupo de seis pessoas, que incluia um casal de idosos, então meu roteiro foi adaptado para que todos aguentassem as trilhas até os poços e cachoeiras.

Mas como disse meu próprio guia, Lincoln Santos, tem idosos e idosos! Os que sempre praticam caminhadas e se alimentam bem, aguentam, por exemplo, a subida do Morro do Pai Inácio, que é tranquila! Segurando na mão, devagar sem pressa, chegamos! Mas a Cachoeira da Fumaça, a segunda maior do Brasil, não fizemos!

Onde se hospedar… A pergunta que não quer calar: Lençóis ou Capão? Eu escolhi passar todos os dias hospedada num lugar só, apesar das atrações do Parque Nacional se dividirem entre outros municípios!

Queria evitar a locomoção de hotéis, check-ins e check-outs, e foi por isso que preferi o motorista que nos pegava e nos deixava de volta no hotel todos os dias. Foi sucesso!a Voltavamos dormindo, mortos!

Pra hotel, fui pela localização sempre! O Hotel Terra dos Diamantes foi construído quase que dentro de um dos maiores pontos de visita da Chapada Diamantina, o Salão de Areias Coloridas, e a região de Serrano, onde se fazia o garimpo dos diamantes, você pode ir a pé rapidinho e ainda tomar banho na cachoeira!

Enfim, tudo que planejei saiu ‘como planejado’ e fica aqui minhas dicas para se organizarem! E se eu tiver de eleger o que mais gostei, já tenho na ponta da língua: O Poço Encantado! Demorou pra chegar, mas valeu a pena. Se não for a principal, é uma das coisas mais lindas que já vi na vida!.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *